Vamos falar sobre INCLUSÃO? Para abordar um tema tão necessário e latente, a edição de abril do Creative Mornings São Paulo começou com um delicioso café da manhã, com apoio de muitos voluntários – regado a itens naturais, veganos e sem lactose, sem falar da ação “Biblioteca de Canecas” em que cada participante contribui, trazendo uma caneca e deixando com a organização do evento, para um ambiente mais responsável e sustentável -, e uma sessão especial de Yoga. Emanando o mantra “Om”, os participantes prepararam corpo e mente para receber o valioso conteúdo do Creative Mornings, sobre Inclusão, que aconteceu na Miami Ad School São Paulo, em 26 de abril.

O Creative Mornings é um café da manhã com palestra que acontece em mais de 200 cidades pelo mundo, sempre trazendo convidados, com o objetivo de inspirar, conectar pessoas e trocar ideias. Todo mês o evento apresenta um novo tema, e em abril, o tema, em todo o mundo, foi INCLUSÃO.

Paulo Sérgio Quartiermeister, Diretor da Miami Ad School, falou sobre a realização do Creative Mornings na Escola:
“Estamos muito honrados por termos sido escolhidos como sede para essa edição tão especial e que tanto tem relação com o propósito e os valores da Miami Ad School. Inclusão é um tema que está no nosso cotidiano e estamos buscando aprimorar nossos processos de bolsas sociais para que possamos dar, cada vez mais, oportunidades a quem precisa e tem merecimento”, contou Quartiermeister.

Depois do café da manhã e da Yoga, Marcela Ponce de Leon, integrante voluntária do Creative Mornings e responsável pelo evento em São Paulo, deu as boas-vindas a uma sala lotada de pessoas, dispostas a entender e praticar a inclusão. Marcela contou que o projeto, que é sem fins lucrativos e conta com a colaboração de empresas parceiras, teve início em Nova Iorque (EUA) e existe desde de 2008 por iniciativa da designer Tina Roth Eisenberg (@swissmiss). E, no mesmo dia do evento na Miami Ad School, o Creative Mornings estava comemorando os últimos três anos do atual grupo de voluntários do capítulo de São Paulo. E não tinha só uma vela no bolo de aniversário. O momento foi de comemoração dupla, já que também era o dia do aniversário da convidada e palestrante, a cantora Preta Ferreira.

Preta fez uma apresentação musical de arrepiar ao som do violão do Cris Romagna —  músico que faz parte do grupo de voluntários do evento e compõe todos os meses uma canção inédita a partir do tema. Nessa edição Cris Romagna e Preta se apresentaram juntos cantando a música “Minha Carne”, de autoria da cantora, cujo clipe pode ser visto pela internet. Além de artista e publicitária por formação, tendo marcado presença em clipes de Maria Gadú, Ana Canãs e Criolo, Preta é ativista no Movimento Sem Teto do Centro (MSTC) e falou, com propriedade, sobre inclusão.

“Precisamos olhar para os negros, indígenas, pessoas trans. Quantas oportunidades estamos dando para essas pessoas? Será que todas as oportunidades que as pessoas privilegiadas tiveram na vida essas pessoas também estão tendo?”

A cantora afirmou, ainda, que o trabalho de inclusão que é feito no MSTC deveria ser feito pelo governo.

“Ocupamos prédios vazios que não têm função social. Por que um morador de rua tem que dormir ao lado de um prédio vazio, sem qualquer função? Nós fazemos o que o governo deveria fazer”.

O evento suscitou o debate sobre inclusão, protagonismo e o papel de cada um nas lutas dos grupos não privilegiados.

Preta Ferreira foi enfática ao dizer que a maioria dos presentes do evento, brancos privilegiados, devem, sim, apoiar as causas de negros, indígenas e comunidade LGBTQ+, mas que esse apoio não deve ser como protagonista.

Eu não posso ser protagonista da causa gay, mas eu sou protagonista da luta contra o racismo. Uma pessoa branca, privilegiada, pode apoiar minha causa, mas nunca vai poder estar à frente de mim. Quem está há anos sofrendo na linha de frente somos nós e não os brancos. Se a causa não é sua, você precisa caminhar ao lado e não à frente daquela causa”, enfatizou a artista.

Preta deu ainda, exemplos que muito contribuem para o entendimento da questão da inclusão mais a fundo.
“Quem acha que está “ajudando” dando emprego para pessoas não privilegiadas, precisa repensar. Acredito que a palavra “ajuda” deveria ser retirada desse contexto. Considerar um negro, por exemplo, para uma vaga na sua empresa, não é “ajuda”. Você só estará oferecendo a ele a mesma oportunidade dos demais candidatos. E tem mais: o processo de inclusão não termina quando escolhe essa pessoa para a vaga. Você precisa entender o contexto que ela vive. Que o esforço que ela vai fazer para chegar ao trabalho todos os dias é, possivelmente, muito maior do que o de outros candidatos. E por aí vai.” reforçou ela.

Nathália Andrijic, Coordenadora dos cursos de Estratégia da Miami Ad School e responsável pela interface para levar o evento à Escola, também falou no evento e contou que quem ensina também precisa aprender:

Nós sempre convidamos os alunos a virem aprender sobre criação, design e estratégia com a gente, mas, agora somos nós que precisamos aprender. Aprender sobre inclusão. O tema está aí, mas tem muito o que ser feito ainda. É preciso estar do outro lado do balcão para aprender sobre inclusão em um lugar de privilégios que é a escola. Eu mesma fui bolsista da Miami Ad School, por exemplo, e aqui entendemos a importância das bolsas de estudos para quem precisa de uma porta aberta”, contou a profissional.

Em uma sala com 90% de brancos privilegiados em um evento sobre inclusão, Preta Ferreira concluiu: “É preciso inserir o jovem no mercado de trabalho, inserir as minorias, precisamos dar amor, dar o lugar de escuta e não somente doar aquela roupa que não te serve mais, não é isso que precisamos. Não precisamos de ajuda, precisamos de oportunidades”, deu o recado Preta Ferreira.

Nathália Andrijic contou, em primeira mão, que a Miami Ad School está repaginando seu programa de bolsas de estudo, o Miami Social School e que, a partir do segundo semestre, o programa vai ser ampliado para que a Escola possa garantir mais inclusão entre seus alunos.

Para saber mais sobre as próximas edições do Creative Mornings São Paulo: https://creativemornings.com/cities/spo.

E para conhecer o programa de bolsas de estudos da Miami Ad School: https://www.miamiadschool.com.br/miami-social-school/.