Luís Paulo Gatti, professor de Student Competition da Miami foi matéria na Archive Advertising Wordwide.

Confirma a matéria na íntegra.

Quem é quem: Luis Paulo Gatti

Luis Paulo Gatti é um ACD / ART baseado na Saatchi & Saatchi Dubai, liderando o desenvolvimento criativo de marcas como Cadillac, Merci, Isuzu e Dubai Tourism.

Como você começou a anunciar?

Quando somos mais jovens, somos bombardeados com tantas opções diferentes sobre o que estudar e onde trabalhar, mas minha decisão ficou um pouco mais fácil quando ganhei uma bolsa de estudos para estudar Comunicação. No Brasil, estudamos Jornalismo e Propaganda juntos até o segundo ano, onde nos deparamos com a escolha do que nos especializar. No início, considerei me tornar jornalista, mas mudei de idéia e mergulhei de cabeça em publicidade. Durante minha jornada na faculdade, desenvolvi uma paixão pela profissão publicitária, pois estava cercada pelos cérebros mais criativos das agências mais criativas e estava exposta às maravilhas da criatividade que a publicidade traz.

Você pode nos dar um resumo da campanha mais recente em que você trabalhou?

A National Geographic Abu Dhabi nos convidou para participar de um campo para o Planeta ou Plástico? Projeto. A campanha global foi um sucesso em 2018, com a cobertura de revista icônica, e em 2019 nós os abordamos com um caminho diferente, usando o poder de gráficos criativos fortes. O brief pediu para apresentar uma ideia para uma campanha de 12 meses. Convidamos 12 artistas-ativistas, todos envolvidos na causa contra o uso único de plástico, dos 12 países que mais sofrem com a poluição nos oceanos e criaram uma obra de arte que representava cada um dos seus próprios países. Essas peças de arte foram inspiradas por suas experiências pessoais, bem como por questões que são retratadas em notícias locais e internacionais dos países. Foi um intenso processo de pesquisa antes mesmo de começar as peças de arte. Além de todo o material do briefing e da assinatura de apenas artistas engajados na causa, tivemos que levar em conta que as 12 obras de arte possuem estilos variados que dão uma riqueza visual ao projeto. Tive o prazer de coordenar o projeto e fazer brainstorming com cada um dos artistas. Tivemos discussões detalhadas sobre a direção a seguir para que nenhum tópico fosse parecido. Como há 12 países diferentes e eu estou em Dubai, todas as reuniões ocorreram em momentos completamente diferentes em diferentes fusos horários. Eu coloquei muita energia e esforço no projeto e muitas noites sem dormir, mas quando o resultado começou a aparecer, eu não poderia estar mais feliz. Além da obra de arte, também fizemos entrevistas com cada artista, dando-lhes a oportunidade de falar mais sobre seu trabalho e sobre as questões que desejam resolver.

Paralelamente à produção das peças de arte e entrevistas, informei dois redatores, Daniel Bensusan e Rafael Bornacina, sobre como escrever manchetes para cada país e quando recebemos as imagens, pedi que dessem ainda mais vida ao trabalho inserindo mensagens poderosas. em cada imagem. No final, eu e outro diretor de arte, Ivan Montebello, desenvolvemos a tipografia juntos. Eu também recebi muito apoio do meu CCO, Komal Bedi Sohal, que me empurrou na direção certa durante todo o processo, e de dois diretores criativos, William Mathovani e Raja Rizkallah, que me ajudaram a dar um toque regional à campanha. Outro fator muito importante foi a parceria que desenvolvemos com o cliente, Rajdeep Chatterjee, Nicole Auon e Rami Abu Arja. Eles nos deram muita liberdade criativa e em troca, Fizemos o nosso melhor para tornar a campanha realmente relevante para eles e para o projeto. O resultado até agora foi incrível. Depois de lançá-lo nas redes sociais da Natgeo, obtivemos cobertura nos principais jornais da região, que resultaram em milhares de compartilhamentos, visualizações e curtidas, mais de 8,6 milhões de impressões de mídia e US $ 320 mil de mídia gratuita e cobertura de RP. Muito em breve, lançaremos uma exposição de arte para o projeto em Dubai, que será promovido nas redes sociais da Natgeo para convidar o público.

A melhor peça de trabalho criativo no momento é?

Eu darei a minha resposta com base na região em que eu trabalho atualmente e uma que é muito pessoal para mim. Há uma série de filmes incríveis feitos pela Leo Burnett Dubai para a DU TELECOM. Os filmes questionam o comportamento de algumas pessoas que filmam uma tragédia e a compartilham nas redes sociais, nas quais acabam explorando as terríveis situações enfrentadas pelas vítimas pela fama viral. Uma realidade muito triste, mas verdadeira.

Outra campanha que eu gosto da região, especialmente Dubai, é uma série de filmes da IKEA. Através do humor, os filmes refletem problemas mundanos cotidianos em um tom de voz muito dramático. E, claro, apresentar a solução com produtos IKEA.

Por fim, comentarei sobre uma campanha da FOX para os Simpsons. Achei muito inteligente que a campanha funcionasse com a percepção familiar aos fãs do programa, uma piada que sugere que os Simpsons preveem o futuro. Simplesmente brilhante!

Todas essas campanhas têm o denominador comum de segmentar o público de maneira inteligente. No caso de Du – tentando mudar um comportamento, a IKEA está vendendo produtos com drama cotidiano em nossa rotina diária, enquanto na FOX está ouvindo o que os fãs têm dito sobre a marca. BRAVO!

O que você acha que a próxima grande tendência de publicidade será?

Estou vendo uma nova direção de comunicação das marcas, mas gostaria de ver mais disso – as marcas comunicando mensagens e sua postura em relação às relações humanas, como combater questões sociais como a homofobia e o racismo, promovendo a inclusão social e incentivando causas ambientais. Um exemplo recente disso é o anúncio da Gillette sobre a masculinidade tóxica que teve sua parcela de aversão, o que só prova quanto precisamos conversar sobre esses tópicos. Marcas devem tomar um lado, uma posição e ser verdade no que estão se comunicando. Um grande exemplo foi quando a Campanha Nike de Colin Kaepernick mantém o hino da NFL ajoelhado no centro das atenções.

O que é um trabalho publicitário que você gostaria de ter pensado?

Maneiras estúpidas de morrer.

Eu realmente acredito que muito trabalho e criatividade estão sendo produzidos e criados na Austrália. É um dos poucos lugares em que vi ideias e campanhas com as quais me identifiquei mais recentemente.

Em um filme sobre sua vida, com quem você gostaria de ser interpretado?

Eu sou um grande fã de Charlie Chaplin. No entanto, como ele está permanentemente indisponível para filmar, acho que meu filme nunca vai acontecer.

O que sua última atualização de mídia social disse?

Parabéns a toda a equipe da Saatchi & Saatchi e aos clientes que ganharam um Silver Lynx e 7 listas com nosso Planet ou Plastic? Projeto e 1 Bronze Lynx e lista de candidatos para a campanha de H & S nos prêmios Lynx.

Eu ensino em uma escola de publicidade porque:

Estes são meus três princípios para ensinar: 1. O conhecimento é um dos melhores (se não os melhores) presentes que você pode dar e receber. 2. Não há melhor maneira de aprender do que ensinar. 3. A energia e paixão de iniciantes e juniores é uma sensação maravilhosa. Além do maravilhoso relacionamento e parceria que tenho com a PA (Paulo Andre Bione) e com todos da Miami Ad School. Aproveito para agradecer à Escola CUCA que me deu a primeira oportunidade de me tornar professora

www.lpgatti.com 

Perfil

CLIQUE AQUI para ler a matéria no site da Archive.